Processo de reunião familiar, parte 2: o processo provincial

Dando continuidade ao primeiro artigo sobre o processo de reunião familiar, vou explicar agora como proceder com a segunda fase, o processo provincial. Menos de cinco meses após enviarmos a documentação do processo federal, recebemos a carta com a autorização para abertura do processo junto ao governo do Quebec. Em 3 dias, reunimos os documentos, preenchemos os formulários e colocamos no correio.

Antes de começar, gostaria de lembrar que, assim como no primeiro artigo, as instruções fornecidas assumem um processo de reunião familiar para um casal sem filhos cujo cônjuge não-residente esteja no Canada e que pretenda viver na província do Quebec. Algumas informações fornecidas podem ser úteis para perfis diferentes, mas eu aconselho fortemente consultar as informações disponibilizadas no site do MICC ao invés de se guiar apenas pelo artigo.

Família reunida em Québec

Família reunida em Quebec

Continuar lendo

Anúncios

Notícias do CIC

Saudações à todos.

Segunda-feira dia 29 eu comemorei junto à minha esposa o nosso primeiro ano de casamento. Foi uma comemoração reservada, com direito a excelente vinho e comida, além do simpático presente da Citoyenneté et Immigration Canada: um e-mail de confirmação que o processo de patrocínio foi aberto e instruções para entrar em contato para verificar o andamento do processo ou informar qualquer mudança de endereço.

1 Ano de Casamento

E, embora tenhamos uma mudança de endereço para informar, infelizmente o sistema eletrônico não aceita nem o número de cliente nem o protocolo do processo de maneira que eu vou ter que entrar em contato por telefone. Atualizarei este artigo assim que eu tiver uma resposta.

Aproveitando o assunto, soube recentemente que o processo de reunião familiar para cônjuges/cônjuges de fato sofreu uma pequena mudança na semana passada. Se, no momento de abertura do processo de patrocínio, o casal não tiver completado 2 anos de relacionamento, o cônjuge patrocinado deverá permanecer com o patrocinador durante dois anos após receber a sua residência permanente, sob pena de perder o estatuto. Exceções serão concedidas em casos de violência conjugal. Quem estiver interessado, pode ler a íntegra do pronunciamento do ministro Jason Kenney.

Antes de finalizar, gostaria de avisar a quem já está por aqui (ou que está para chegar) que a Maison de l’Amitié, um organismo montrealense muito simpático que oferece cursos (incluindo francês, inglês e espanhol) a imigrantes sem estatuto, vai oferecer um workshop de 3 horas nos dias 10 de novembro e 8 de dezembro. O organismo cobra uma taxa simbólica, e eu posso atestar que eles são uma entidade idônea e séria.

Um abraço a todos e até a próxima.

P.S.: E eu quase esqueci! Outra coisa a comemorar é que o blog ultrapassou as 20 mil visitas na semana passada. Muito obrigado a todos vocês que nos acompanham e divulgam.

Atualização: eu consegui entrar em contato com o CIC e eles me instruíram a mandar um e-mail para address-change@cic.gc.ca com as seguintes informações: nome, sobrenome (exatamente como listado no passaporte ou documento de identificação), endereço completo (incluindo o código postal), data de nascimento e o número de identificação do cliente (IUC). Uma dica adicional é, sempre que você precisar soletrar ao telefone alguma informação como o seu sobrenome ou o seu e-mail, tente utilizar os códigos do alfabeto fonético da OTAN: é quase 100% de certeza que a pessoa do outro lado vai entender corretamente a informação, independente de seu idioma nativo.

Processo de reunião familiar, parte 1: o processo federal

Conforme prometido, eu estou escrevendo este artigo para ajudar os imigrantes que tem o estatuto de residente permanente do Canadá e são casados ou vivem em união de fato (union de fait) com alguém que não participou do processo de imigração, como eu. Nosso processo foi revisado por uma assistente social especializada e enviado no dia 27 de junho.

O processo em si não é complicado, tudo o que você precisa fazer é ler as instruções e os formulários com atenção. Contudo, existem algumas variáveis que determinam os detalhes do processo: esse artigo foi escrito assumindo um processo de reunião familiar para um casal sem filhos cujo cônjuge não-residente esteja no Canada e que pretenda viver na província do Quebec. Se você não se encaixa neste perfil, as informações aqui podem ajudar (alguns formulários são os mesmos, por exemplo), mas esse artigo não vai responder todas as suas questões.

Recém-casados

Recém-casados

Salvo quando indicado em contrário, os formulários devem ser preenchidos no computador antes de serem impressos e assinados.

Continuar lendo

Mudanças no Processo Provincial e Federal

Saudações a todos.

Quem está acompanhando as notícias sobre o Canadá, já deve estar ciente das novas regras que estão ou em breve irão entrar em vigor. Uma péssima notícia para quem está no processo, pois as novas regras tornam o caminho para a imigração ainda mais longo e difícil para os candidatos. Vamos ver em detalhes:

Processo Federal: além de ter devolvido quase 300.000 processos pendentes há mais de 4 anos, o Ottawa anuncia que novas mudanças vem por aí. Acompanhe nas palavras do próprio Ministro Federal da Imigração, Jason Kenney.

Processo Québec: as mudanças do processo provincial pegaram muita gente de surpresa. Alguns imigrantes não poderão dar entrada em seus processos antes de 2013, enquanto outros estão sujeitos à quotas. Muita gente que estava apenas esperando o resultado do teste de nível foram duramente atingidos por esta mudança. Você pode conferir os detalhes diretamente das palavras da ministra Kathleen Weil ou conferir a explicação em português de Catherine Potvin, proprietária da École Québec.

Kathleen Weil, ministra da imigração e comunidades culturais do Québec

Kathleen Weil, ministra da imigração e comunidades culturais do Québec

Minha opinião sobre o assunto? Não sei dizer.

Por um lado, imagino a frustração de quem ficou quatro ou cinco anos no processo federal e recebeu o dinheiro de volta com o convite de participar novamente ou ainda de quem já tinha sido surpreendido com a exigência de teste de nível e recebeu a notícia de que vai ter que esperar mais um ano para submeter.

Por outro, o processo não podia continuar do jeito que estava: não é correto ter que esperar vários anos para ter uma resposta ou ainda receber imigrantes não-qualificados sem ter a estrutura para integrá-los. Portanto, foram medidas dolorosas mas foram medidas necessárias.

Vamos apenas torcer para que tenham sido suficientes.

Ano novo e exames médicos

Olá a todos. Como esse é o primeiro artigo do ano, eu não poderia começar sem falar sobre o que aconteceu em 2009 e as expectativas para 2010.

2009 foi um ano difícil para mim: passei todas as angústias do processo desde a espera pela entrevista até a realização dos exames médicos, guardei dinheiro e batalhei bastante. Perdi meus dois avós maternos e comecei a entender melhor como será quando eu não tiver mais a minha família por perto. Devagarzinho, fui me despedindo das coisas, dos lugares e das pessoas, sem saber se terei a oportunidade de ver novamente depois da viagem.

Não posso dizer tampouco que 2010 começou bem. Entretanto, novos horizontes e oportunidades se abrem e eu tenho certeza de que esse ano excelentes surpresas estarão no caminho e que, não só 2010 terminará de maneira maravilhosa, como 2011 será um ano ainda melhor. Podem anotar o que eu escrevi e me cobrar no ano que vem.

Falando agora sobre os exames médicos, para quem não sabe, existem apenas 4 médicos que atendem em São Paulo, todos na região da Consolação. Escolhi o Dr. João Jorge Leite pois ele é credenciado pelo meu convênio (Allianz), mas não adiantou: ele não faz consulta para a emigração pelo convênio e foi necessário desembolsar R$ 250,00 pela consulta. Para que ninguém perca tempo pesquisando, eu aviso que o preço é o mesmo para todos os médicos. Além desse custo, é necessário pagar também o envio dos resultados: você pode optar por enviar via Sedex – R$ 60,00 e demora até 15 dias úteis para chegar – ou FedEx, cujo custo varia de acordo com a cotação do dólar e que no dia (18/12/2009) ia ficar em torno de R$ 110,00 mas que demora no máximo 8 dias corridos para chegar. Os valores são por processo, independente de ser uma pessoa solteira, um casal ou uma família (já que vai tudo no mesmo envelope). Como era período de festas e não havia pressa em pegar o visto(pois a ideia é ir em abril), optei por enviar via Sedex mesmo.

No dia da consulta, houveram alguns contratempos mas cheguei um pouco antes do horário. Na sala de espera haviam dois casais, entretanto, não conversei com eles e não sei dizer se estavam no processo de emigração para o Canadá ou para outro país (ou mesmo apenas se consultando com o médico). Foi necessário levar 3 fotos 3×4, identidade, passaporte e o formulário enviado pelo consulado. O exame em si é bastante simples: no próprio consultório é feita a coleta de urina e o próprio médico faz a análise (com uma fitinha de pH, nada muito sofisticado). Depois você entra no consultório e ele faz uma série de perguntas sobre o histórico de doenças, seu e o da sua família. Por fim, ele escuta o seu peito com um estetoscópio para determinar se você tem algum problema cardíaco ou respiratório.

Depois da consulta, recebi uma guia e fui encaminhado para o Lavoisier, que fica há 15 minutos de caminhada do consultório. Antes de sair, perguntei se podia ser qualquer Lavoisier, mas a atendente do Dr. João disse que só podia ser o da Avenida Angélica. Cerca de uma hora depois, fui chamado. O atendente pegou a minha guia, me deu os papéis para a realização dos exames e me encaminhou para a coleta de sangue. Antes de sair, perguntei se os exames ficavam prontos na hora, ele disse que não mas que eu não precisaria me preocupar pois os exames seriam encaminhados para o Dr. João. Utilizei o meu convênio para realizar os exames, então não sei dizer quanto custaria caso fosse necessário pagar pelos exames.

A coleta de sangue foi bem tranquila, não tiraram mais do que dois tubinhos. Esse sangue é para os exames HIV-I/II e VDRL (o que quer que isso signifique, só sei porque estava escrito na papelada que recebemos do consulado para Aids e Sífilis, obrigado Pati). Depois da coleta, eu fui encaminhado para fazer a radiografia do pulmão, o que também foi bem simples e rápido. Eu imaginava que esse exame servia para saber se alguém já teve alguma doença pulmonar como pneumonia ou tuberculose, mas não tenho certeza. Às 12:45 tudo estava terminado.

Uma dica para quem quer ver os resultados dos exames: ao passar pelo atendimento, você recebe uma guia através da qual é possível consultar os resultados pela Internet. Uma vez que os exames são feitos, os resultados levam 2 ou 3 dias úteis para chegarem no consultório do médico. No dia 23, o consultório do Dr. João funcionou até 12:00 e eu esqueci de ligar antes deste horário para saber se tudo havia dado certo com os exames e para pedir o número do protocolo para acompanhar o envio dos resultados. Ou seja, passei as festas sem saber do andamento do processo.

Por fim, já em 2010, finalmente consegui ligar para o consultório e recebi duas boas notícias. A primeira é que os exames foram via FedEx ainda que eu tenha pago Sedex. Em segundo lugar, os exames médicos passaram o Ano Novo em Trinidad e Tobago (diga-se de passagem, melhor que eu, que passei em São Paulo): chegaram no dia 29/12. Para não dizer que só recebi boas notícias, eu também descobri que a Allianz recusou o meu pedido de reembolso, alegando que eu precisaria de um pedido de um médico conveniado para consultar um médico não-conveniado. Resolvi desistir, R$ 95,00 não valem o esforço e não vão estragar a minha alegria.

De qualquer maneira, que venham logo os vistos! Feliz 2010 para todos.

Passei na entrevista! E agora?

Antes de mais nada, meus parabéns: você acaba de passar pela parte mais difícil do processo de emigração (descontando a emigração em si, claro). Entretanto, ainda não é tempo de relaxar: agora começa a corrida para submeter a papelada do processo federal e esperar o pedido dos exames médicos.

O tempo de espera desde a submissão do processo federal até o recebimento dos vistos costuma variar entre 6 e 10 meses. Neste ano, muitas pessoas relataram que a embaixada está segurando os processos até dezembro, supostamente para adequar o fluxo de emigrantes à estrutura de apoio do governo canadense e ao mercado de trabalho que ainda sofre com a crise.

Resumidamente, o que você precisa para dar entrada no processo é:

Continuar lendo

O processo apareceu no E-CAS!

Depois de esperar apenas duas semanas, o processo já apareceu no E-CAS.

Para quem não sabe, o E-CAS é um sistema que faz o acompanhamento do processo federal de emigração. Em alguns casos, ele registra rapidamente o processo e o status, mas há outros que é necessário esperar até 2 meses para ver o nome no sistema. Repetindo a crítica de outros candidatos, seria bom se o processo provincial do Québec tivesse um sistema parecido, daria maior transparência sobre o processo.

Ao contrário do que eu pensei, encontrar o site do E-CAS não é tarefa trivial. Assim como foi com os formulários para dar seguimento ao processo, encontrar o sistema dentro do site do governo federal canadense requer paciência e tempo. Para evitar que outras pessoas passem por isso, eu criei uma página nova (o link está no cabeçalho do blog) chamada “Links Úteis”, onde por enquanto só tem o endereço do E-CAS. Com o tempo eu vou adicionar mais links, coisas que eu fui recolhendo durante esse tempo de processo.

Uma vez que você acesse a página, será necessário o número do processo (está na carta que vem do consulado confirmando o recebimento dos documentos), o sobrenome, a data de nascimento e o país de origem do requerente principal. Em “Identification Type”, a opção correta é “Immigration File Number”.

Abaixo, a tela do E-CAS mostrando o processo… bem, em processo. 🙂

Processo em Processo

Processo em Processo

Agora é esperar pelos exames médicos.